quarta-feira, 13 de julho de 2016

DIA MUNDIAL DO ROCK!!! História, significados e curiosidades


No dia 13 de julho de 1985, um dos maiores (senão o maior) shows de rock do planeta, chamado Live Aid, reuniu lendários artistas da história da pop music e do rock mundial. O objetivo do evento era a arrecadação de fundos para o combate à fome e à miséria na África.

Dois shows foram realizados simultaneamente, sendo um no lendário Wembley Stadium de Londres (Inglaterra) e outro no JFK Stadium, na Filadélfia (EUA).

Os shows traziam uma constelação de megastars, como Paul McCartney, The Who, Elton John, Boomtown Rats, Adam Ant, Ultravox, Elvis Costello, Black Sabbath, Run DMC, Sting, Brian Adams, U2, Dire Straits, David Bowie, The Pretenders, The Who, Santana, Madonna, Eric Clapton, Led Zeppelin, Duran Duran, Bob Dylan, Lionel Ritchie, Rolling Stones, Queen, The Cars, The Four Tops, Beach Boys, entre outros.

Peter Towshend (guitarrista do "The Who")

Estima-se que o evento foi assistido pela TV por mais de 2 bilhões de telespectadores em todo o planeta, em cerca de 140 países. Em 16 horas de show, o Live Aid conseguiu arrecadar cerca de 100 milhões de dólares, totalmente destinados ao povo faminto da África.

Desde então, o dia 13 de julho passou a ser conhecido como o Dia Mundial do Rock.

Origem da palavra e do ritmo musical "Rock and Roll"

A expressão, que literalmente significa "balançar e rolar", fazia parte da gíria dos negros americanos desde as primeiras décadas do século XX, para referir-se ao ato sexual. Assim, ela já aparecia em várias letras de blues e rhythm’n’blues como "Good Rockin’ Tonight" (1947), de Roy Brown - antes de ser adotada como nome do novo estilo musical, que surgiu nos anos 50, com Bill Halley e Elvis Presley, e consistia basicamente na fusão desses ritmos negros com a branquela música country. Esse batismo costuma ser atribuído ao disc-jóquei americano Alan Freed (1922-1965), cujo programa de rádio foi um dos principais responsáveis pela popularização da nova onda, altamente dançante, que logo contagiou toda a juventude do país e do mundo.

Na década de 60, o rótulo foi abreviado para "rock", para abranger as mudanças provocadas por artistas como Bob Dylan e Beatles, abrindo um leque de infinitas variações: rock psicodélico, rock progressivo, folk rock, hard rock, heavy metal etc etc. A partir daí, o termo "rock’n’roll" passou a significar exclusivamente o estilo original, característico da década de 50.

O Rock no Brasil

A primeira gravação do novo gênero musical no Brasil foi uma cover de "Rock Around the Clock", o hit de Bill Haley and His Comets que espalhou o rock’n’roll pelo planeta. A tal cover - intitulada "Ronda das Horas", mas com a letra original em inglês - foi gravada em outubro de 1955 por Nora Ney, especialista em sambas-canção.

Dois discos de 1957 disputam o título de primeiro rock totalmente composto no Brasil. Segundo o especialista Marcelo Fróes, em seu livro Jovem Guarda - Em Ritmo de Aventura (2000), a honra cabe a "Rock and Roll em Copacabana", de Miguel Gustavo, autor da marchinha "Pra Frente, Brasil", que embalou a seleção de futebol na Copa de 1970. "Rock and Roll em Copacabana" foi gravada por ninguém menos que Cauby Peixoto e lançada em maio de 57. Porém, no mesmo mês, a veterana pianista Carolina Cardoso de Menezes soltou seu "Brasil Rock". Até onde se sabe, a gravação de Cauby foi em janeiro e a de Carolina em março, mas é impossível precisar qual das canções foi composta primeiro.

O fato é que nenhuma dessas pessoas se especializou em rock, apenas tiveram incursões esporádicas pelo ritmo. Assim, os títulos de primeiro cantor e de primeiro grupo de rock do país cabem a Betinho e Seu Conjunto, que gravaram, em abril de 1957, "Enrolando o Rock", composto pelo líder da banda em parceria com Heitor Carillo. Alberto Borges de Barros, o Betinho, era filho de Josué de Barros, o descobridor de Carmen Miranda - e pode ser visto, com Seu Conjunto, interpretando "Enrolando o Rock" no filme Absolutamente Certo (1957), de Anselmo Duarte, um clássico da chanchada.

Raul Seixas, "o avô do rock nacional"

Depois disso, vieram os sucessos mirabolantes de "Os Mutantes" e do baiano Raul Seixas, que misturava o rock de Little Richard, Jerry Lewis e Elvis Presley com vários ritmos regionais e nacionais, como o baião, o samba e a musicalidade dos terreiros de umbanda. Para muitos, Raul é considerado "o avô do rock brazuca". Sua obra, fortemente marcada pelos tempos do regime militar, seria o start para o "boom" das bandas nacionais que viriam na década de 80, como "Os Paralamas do Sucesso", "Os Titãs", "Aborto Elétrico", "Ira!", "Barão Vermelho", "Legião Urbana", "Capital Inicial", "Biquíni Cavadão", "Nenhum de Nós", "Camisa de Vênus", entre muitos outros.

Renato Russo e Cazuza, ícones do rock brazuca

No Brasil, a idolatria de milhões de fãs (inclusive a deste vosso interlocutor, fiel leitor) às obras de Raul Seixas, Renato Russo e Cazuza os colocam no hall da fama do rock brazuca, sendo até hoje referências para as inúmeras bandas que surgiram nos anos 90 e nos atuais anos 2000, dentre as quais "Jota Quest", "Catedral", "O Rappa", "Mamonas Assassinas", "Os Raimundos", "Los Hermanos", etc.

VIDA LONGA AO ROCK'ROLL, EM TODAS AS SUAS VERTENTES!!!

Fonte: http://hugo-freitas.blogspot.com.br/2012/07/dia-mundial-do-rock-historia.html

terça-feira, 5 de julho de 2016

Ministério Publico prende 5 pessoas nos Municípios de Cantagalo, Virmond e Guarapuava.



O promotor de Cantagalo, Diogo de Araújo Lima com apoio do Choque da Polícia Militar, cumpriu cinco mandados de prisão no final da tarde desta segunda feira (04). Os mandatos foram cumpridos em Virmond, Cantagalo e Guarapuava, e são decorrentes da “Operação Cosa Nostra”, deflagrada em dezembro de 2015.


Os presos são Charles Mierzva, filho da prefeita Lenita Mierzva e atual secretário de Finanças do Município, Maikon Okonoski, Grazi Okonoski (esposa de Maicon), e o pai de Maicon. Um quinto homem, amigo da família, foi preso em Guarapuava.

OPERAÇÃO COSA NOSTRA

As prisões foram decorrentes da Operação Cosa Nostra, do Gaeco, deflagrada em dezembro de 2015, e que investigou a ligação da família Okonoski com um esquema criminoso. Segundo o Ministério Público, a família Okonoski estaria envolvida em crimes de peculato, fraude a licitação, corrupção, falsidade ideológica e documental, e organização criminosa. (LEIA MAIS AQUI SOBRE A OPERAÇÃO COSA NOSTRA)

Fonte: www.redesuldenoticias.com.br


sexta-feira, 1 de julho de 2016

Governo Richa confirma recuo em pagamento de reajuste ao funcionalismo; categorias falam em greve


O chefe da Casa Civil do governo Beto Richa (PSDB), Valdir Rossoni (PSDB), confirma que o Executivo não deve pagar nas datas previstas em lei os reajustes do funcionalismo paranaense. A reposição da inflação foi garantida em negociação para encerrar a greve de 2015 e foi colocada em lei pela Assembleia Legislativa. No entanto, a avaliação do governo agora é que não há recursos para cumprir o que foi acertado.
“A situação é a seguinte. As duas questões que nós temos com os servidores públicos não cabem no orçamento de 2017. Temos um passivo de progressões, avanços e promoções em várias categorias, que temos de pagar a partir de janeiro. Não tem alternativa. Não tem como pagar isso junto o aumento salarial”, disse Rossoni ao blog Caixa Zero, por telefone.
Rossoni diz que o governo está “discutindo como proceder, qual é a melhor alternativa”. “Há uma determinação do governo para encontrarmos uma solução para quitarmos esses compromissos”, diz o secretário, admitindo que não há como pagar tudo nas datas previstas. O cálculo do funcionalismo é de só para os professores a dívida de progressões, promoções e avanços passa de R$ 552 milhões.
Os sindicatos das categorias do funcionalismo já anunciaram que não pretendem deixar que o governo mude o que está previsto sem resistir. “A categoria está disposta a fazer a luta. Se for necessário, retomaremos a greve”, afirma Marlei Fernandes, coordenadora do Fórum dos Servidores. Os professores estão em estado de greve desde o ano passado, quando houve a maior paralisação da história do Paraná
Crise
Rossoni diz que a impossibilidade de quitar os pagamentos se deve à crise econômica do país. “Foi feito um acordo dentro de uma realidade em que se dizia que haveria um PIB crescendo 3%. E o PIB está encolhendo. E temos uma outra questão: não queremos o Paraná na situação dos outros estados. Vi o governador do Rio Grande do Sul anunciando como se fosse um grande feito ter pago o décimo terceiro do funcionalismo do ano passado”, diz ele.
Rossoni diz que a crítica de que o governo promete R$ 3 bilhões em investimento mas não paga os compromissos com o funcionalismo não é válida. “Os investimentos do governo são temporários. São de depósitos judiciais, venda da folha de pagamento. Agora, a questão salarial dos servidores, se implantar não tem como recuar. Se tivéssemos como vender a folha de pagamento todo ano, se tivesse depósitos judiciais todo ano seria muito mais fácil. Eu gostaria. Não é com prazer que estamos fazendo isso”, afirma.
Segundo chefe da Casa Civil, o governo do Paraná também está no limite da lei de responsabilidade fiscal. “E se sairmos deste limite, isso inviabiliza todos os empréstimos internacionais e recursos para investimentos. Não podemos correr esse risco de trazer prejuízos para o povo paranaense”, diz.
Rossoni diz discordar de deputados da base do governo que preveem uma nova “guerra” com o funcionalismo. “O servidor público que não está politizado vai entender. Os politizados têm que responder eles mesmos aos funcionários. Porque a Dilma prometeu PIB crescendo 3% e estamos com crescimento negativo. Agora, quem quer ter tranquilidade financeira, vai entender. Os servidores têm salários e décimo terceiro em dia e querem continuar assim. E tem que lembrar que o governador deu especialmente 85% de aumento aos professores em dois mandatos”, afirma.

Fonte: Gazeta do Povo

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Ex prefeito de Guarapuava Luiz Fernando Ribas Carli está sendo aguardado pelo GAECO



Guarapuava – O ex prefeito de Guarapuava, Luiz Fernando Ribas Carli, está sendo aguardado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) para o cumprimento de um mandado de condução coercitiva (quando o intimado é obrigado a prestar depoimento, com escolta policial). Ele foi citado nessa quarta feira (29) em uma operação para desmontar uma suposta organização criminosa que atuou em fraudes a licitações do transporte coletivo em três cidades do Paraná. (LEIA MAIS AQUI SOBRE O ASSUNTO)
A expectativa é que Fernando Carli se apresente na sede do Gaeco, em Curitiba, para prestar depoimento.
Nessa quarta feira, seis pessoas foram presas. Além das prisões, foram expedidos mandados de condução coercitiva, entre eles o do ex prefeito Fernando Carli, que não estava em viagem e não foi localizado. Além de Carli, também o ex-prefeito do Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi foi alvo desses mandados.
Policiais estiveram na casa de Fernando Carli, de onde retiraram dois malotes de documentos.
A operação foi batizada de Riquixá – uma espécie de veículo utilizado para o transporte de carga e pessoas que pode ser pedalado ou puxado por alguém.
Entre os presos, cinco pessoas são da empresa Logitrans, que tem sede em Curitiba e que tem como um dos sócios Sacha Reck. Ele é advogado do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba. De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o advogado seria um dos operadores do esquema.
Ainda segundo as investigações do Gaeco, a Logitrans junto com outra empresa de São Paulo, que também teve um dos sócios preso, seriam as responsáveis por fraudar as licitações do transporte público em Guarapuava, Foz do Iguaçu e Maringá, no norte.

Fonte: Site Rede Sul de Notícias

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Cadê o 21º Aniversário do município de Marquinho?

No mês de junho de 2016, Marquinho comemora 22 anos de emancipação política e administrativa, porém, o blog Olho Aberto, publicou no ano passado que o município havia comemorado seu 20º aniversário.
A contradição das datas causou estranheza nos moradores da pequena cidade localizada no centro oeste do Paraná.
Afinal, Marquinho comemora 21 ou 22 anos em 2016?

Segundo o site da prefeitura, no dia 22 de junho  de 1994, através da Lei n.º  10.834, ficou criado  o Município de Marquinho, com o território desmembrado de Cantagalo.

Aniversário de 2015, comemorando 20 anos.


Aniversário de 2016, comemorando 22 anos.
Publicação do Jornal Correio do Povo do Paraná (29/06/2016) 
Muito estranho!



sábado, 26 de janeiro de 2013

Marquinho:Sargento Zalewski recebeu título de Cidadão Honorário do Município



A Câmara Municipal de vereadores do Município de Marquinho concedeu o título de Cidadão Honorário , onde o 2º Sgt Edson Luiz Zalewski recebeu o titulo de cidadão honorário do município.

Parabéns ao Sargento Zalewski, digno da homenagem recebida !!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Para professores da UFPR, “gestores da SEED não entendem nada de educação pública”



Professores dizem que Arns e Meroujy não entendem de educação pública.
Caro Esmael, encaminho para publicação em seu blog, se julgar importante, esta análise feita por professores da UFPR e Educação Básica sobre os índices do IDEB no Estado e sobre as declarações infundadas da Superintendente da Educação [Meroujy Cavet].
Abaixo o link do Núcleo de Estudos sobre o Ensino da Filosofia, fonte da publicação o texto.
Creio que o texto mostra, entre outras coisas, que os gestores da SEED não entendem nada de educação pública.
Att.
Ademir Mendes
Professor de Filosofia e doutorando em Educação na UFPR.

Via Blog do Esmael Morais.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Sob ameaça, professores fazem até segurança em Censes (Educandários)

Com greve de educadores sociais, professores da rede estadual têm de dar aulas dentro de celas. Governo ameaça com corte do ponto
Educadores sociais, vinculados à Secretaria da Família e Desenvolvimento Social (Seds) e que atuam nos Centros de Socioeducação (Censes) para menores infratores no Estado, estão em greve para protestar contra a falta de atenção do governo em relação à sua pauta de reivindicações, que cobra a criação de plano de carreira e melhores condições de trabalho, entre outros itens. Com o movimento destes companheiros, que é da mais absoluta justeza, o governo está obrigando os professores estaduais que atuam nos Censes a dar aulas dentro das celas, a desempenhar atividades próprias dos educadores sociais e até mesmo atuar na segurança dos centros.
Hoje, no quinto dia de paralisação, após terem fracassado as tentativas do governo de declarar judicialmente ilegal a greve dos educadores sociais, a titular da Seds, Fernanda Richa, determinou que professores ingressassem nas celas onde estão mantidos os menores infratores e passassem a ministrar as aulas ali, sem qualquer segurança à integridade dos docentes ou preocupação com o aprendizado. A determinação foi feita sob ameaça de desconto do ponto.
Mário Monteiro, presidente do Sindisec, sindicato que representa a categoria, diz que o termo "educador social" se aplica aos servidores da Seds que são responsáveis por assegurar a integridade física, patrimonial e a segurança dos Censes. A tarefa propriamente pedagógica aos menores internados cabe a professores da rede pública cedidos pela Secretaria da Educação (Seed). "Obrigar o professor a dar aula na cela certamente prejudica o trabalho, pois lá não há condições para isso; a finalidade do governo com esta atitude é mostrar que está fazendo alguma coisa, enquanto acaba expondo o professor", disse o dirigente.
Mais grave: professores estão sendo obrigados a realizar a segurança dos estabelecimentos de socioeducação. Segundo Mário Monteiro, durante a greve a situação é recorrente em todas as 18 unidades do Estado - apesar da resistência dos educadores em muitos casos, assim como a de policiais militares destacados para cumprir uma função alheia.
A greve, na verdade, apenas deixa em evidência uma situação que já era observada: professores são indevidamente convocados para trabalhos estranhos ao labor pedagógico dentro dos Censes, num caso grave de desvio de função, frequentemente silenciado pelo temor despertado pelas ameaças de represálias contra quem se nega.
A APP-Sindicato vai cobrar do governo a imediata regularização da atribuição indevida de tarefas aos professores em centros de socioeducação, continuar acompanhando os casos de abuso, além de reafirmar total apoio ao movimento dos educadores sociais, nossos companheiros no Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores (FES), que precisam ser ouvidos, respeitados e atendidos em suas demandas.

Bolívia anuncia falência de McDonald’s e expulsa Coca-Cola de seu território

via Opera Mundi
Como resultado da oposição de Evo Morales ao que seu governo chama de imposições gastronômicas norte-americanas, McDonald’s e Coca-Cola encerrarão todas as suas atividades na Bolívia até o final deste ano.
Se, de um lado, a rede de fast foods McDonald’s anunciou sua falência após “14 anos de tentativas infrutíferas de se instalar na cultura local”, de outro, a Coca-Cola foi formalmente expulsa do território e terá até o próximo dia 21 de dezembro para encerrar totalmente sua operação.
De acordo com o ministro das Relações Exteriores da Bolívia, David Choquehuanca, a decisão “estará em sintonia com o fim do calendário maia e fará parte das celebrações do fim do capitalismo e do início da cultura da vida”.
Ao lado do presidente Evo Morales, o chanceler acrescentou que “o dia 21 de dezembro de 2012 marca o fim do egoísmo e da divisão”. Por essa razão “o 21 de dezembro tem que ser o fim da Coca Cola e o começo do mocochinche (refresco de pêssego)”.
Além de critérios culturais, o governo também recorreu a questões de saúde pública, alegando que a Coca Cola, bem como a maioria dos refrigerantes industrializados, contém diversas substâncias capazes de gerar infartos e câncer.
Com a falência dos oito restaurantes que existiam no país, a Bolivia se tornará a segunda nação latino-americana a não possuir unidades do McDonald’s e o primeiro país do mundo onde a companhia foi obrigada a fechar por conta de mais de uma década de contabilidade negativa. O primeiro país a extinguir a maior rede de fast-foods do mundo no continente foi Cuba.
A disputa entre Morales e Coca-Cola começou nos primeiros meses de 2010, quando o presidente anunciou o lançamento de uma bebida totalmente boliviana, a Coca-Colla. O projeto tinha como objetivo legitimar o consumo da folha de coca.
No que diz respeito ao caso do McDonald’s, o modelo produtivista dos fast-foods nunca prosperou na Bolívia. No país, são muito fortes rituais gastronômicos que vão desde a decisão do que as famílias irão comer até o preparo conjunto dos alimentos.

Professores do Paraná conseguem na Justiça implantação imediata de 33% de hora-atividade

* Decisão inédita abre jurisprudência para toda a categoria
Decisão inédita abre jurisprudência para toda a categoria . Foto: Roger Meireles/Gazeta do Iguaçu.
Um grupo de 10 professores do Colégio Estadual Coronel Luiz José do Santos, do distrito Pirapó, em Apucarana, Norte do Paraná, conseguiu ontem na Justiça o direito a 33% de hora-atividade prevista na Lei Nacional do Piso. A decisão obriga o governo do Paraná a cumprir imediatamente a liminar.
Os mestres apucaranenses ingressaram na Justiça porque não concordaram com a negociação realizada entre a APP-Sindicato e a Secretaria de Estado da Educação (SEED), que promete implantar a hora-atividade somente a partir de 2013.
O professor Joacy Roney Cessel, um dos autores da ação judicial, disse que entrou em contato com a APP-Sindicato para comunicar da decisão judicial inédita e propor que a entidade também ingressasse na Justiça para garantir o benefício previsto em Lei, mas, segundo ele, a APP torceu o nariz para a questão.
“Eu fiquei muito chateado com essa omissão do sindicato, até pensei em me desfiliar, mas resolvi continuar associado”, lamentou Joacy, que ainda espera que a APP siga o exemplo dos educadores de Apucarana objetivando estender a implantação da hora-atividade aos demais professores paranaenses.
Os professores afirmam que decidiram reivindicar seus direitos pela via judicial em virtude de promessas anteriores não cumpridas pelo secretário e vice-governador Flávio Arns (PSDB).
O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a lei constitucional em agosto de 2011, ao responder uma ação de cinco estados, inclusive do Paraná. O Ministério da Educação (MEC) prevê a destinação de um terço do tempo para o preparo das aulas, dedicação a cursos e reuniões pedagógicas, dentre outras atividades extraclasse.
Segundo o professor Joacy, os dez colegas beneficiados pela decisão da Justiça poderão optar entre deixar as aulas excedentes e ficar com as aulas como extraordinárias.

Fonte: Esmael.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Marquinho:Encontrada a arma usada no assassinato do Ex-Vereador de Goioxim

Por voltas das14h30min, uma equipe deslocou até a localidade de Guampara no município de Marquinho, e efetuou a apreensão de uma espingarda dois canos, número e marca ilegíveis, calibre 32, com um cartucho intacto, esta arma foi usada pelo Sr Edmundo Cardoso (47), em 22/07/2012, na cidade de Goioxim, onde foi vitima fatal o Sr Erni Antonio Bonifácio, o seu Edmundo já havia se apresentado da Delegacia para explicar os fatos, arma foi entregue na Delegacia para as providências.
Fonte: OLHO ABERTO

sábado, 28 de julho de 2012

Laranjeiras do Sul:Educadores sociais em greve e princípio de rebelião no Cense

Foi agora a tarde, internos do Educandário de Laranjeiras do Sul fizeram um princípio de rebelião na unidade de Laranjeiras do Sul, foi acionado o batalhão de choque de Guarapuava e a policia militar de Laranjeiras do Sul, os policiais entraram as 16 horas na unidade e fizeram um bate-grade preventivo, segundo informações as 17:30 a situação já estava controlada e com segurança.(vídeo acima)

Educador Social


De acordo com o agente Ariel Oro, que também é representante do movimento grevista, a ação desagradou os adolescentes que fazem “bate grade”. Cerca de 70 crianças e adolescentes, entre 12 e 21 anos, estão na unidade.

Reportagem Paola San

Agentes socioeducativos entram em greve em todo Paraná

Os agentes socioeducativos do Paraná iniciaram, neste sábado (28), uma greve por tempo indeterminado. Os profissionais atuam em 18 unidades de reeducação de crianças e adolescentes, em todo o estado. Apesar da paralisação, por se tratar de serviço considerado essencial, a categoria pretende manter 30% dos servidores trabalhando.

O indicativo de greve havia sido aprovado no início da semana. Em um artigo, o presidente do Sindicato dos Servidores da Socioeducação do Paraná (Sindsec-PR) Mário César Monteiro explica os motivos da paralisação. “Depois de um ano e meio de negociações e repetidas reuniões o estado insiste em apenas fazer promessas, com ações de protelar e de não atender efetivamente as necessidades da categoria de forma clara imediata”, afirma no texto publicado no site da instituição.

A categoria apresenta uma extensa pauta de reivindicações, entre as quais se destacam o reajuste de 14,79% das gratificações, seguro de vida, vales alimentação e transporte, e concurso público para reposição do quadro funcional. A categoria também pede a implantação de medidas que garantam a saúde e a segurança dos agentes socioeducativos.

Em nota, a Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social – responsável pelo Sistema Socioeducativo do Paraná – informou que “está tomando todas as providências cabíveis para garantir a integridade física dos adolescentes atendidos”. O comunicado acrescenta que a Secretaria “tem mantido aberto o canal de diálogo com seus servidores”.

No fim da tarde, a assessoria de imprensa do governo do estado informou que, apesar da paralisação, todas as unidades do estado estavam funcionando e não havia impactos, porque os agentes trabalham em regime de plantão.

Via Gazeta do Povo